sábado, 2 de agosto de 2014

Brasão de Armas do Comando Distrital de Setúbal


Ordenação heráldica:

O CORONEL - é representativo da Polícia de Segurança Pública constituído por arco liso com virolas nos bordos superior e inferior, encimado por quatro estrelas de seis pontas, das quais três são aparentes. O intervalo entre cada duas estrelas consecutivas é preenchido por um falcão estendido, tudo de ouro.
ESCUDO - de azul, com uma vieira de ouro e a Cruz de São Tiago em vermelho.
DIVISA - num listei de branco, ondulado, sotoposto ao escudo, em letras de estilo elzevir, maiúsculas de negro "JUSTOS E LEAIS”.

Simbologia:

A VIEIRA - Distrito junto ao mar desenvolvendo a sua misão com nobreza, fé e sabedoria não deixando de aplicar o vigor.
A CRUZ DE S. TIAGO - Em 1172 doava Afonso Henriques os Castelos de Almada e Arruda, aos espatários freires da Ordem Castelhana de Santiago de Espada, como recompensa do socorro que aqueles cavaleiros lhe prestarem quando cercados pelos Mouros em Santarém. A Sede da Ordem inicialmente em Lisboa no Convento de Santos, passou depois para Alcácer e definitivamente para Palmela. Em 1290 D. Dinis, conseguiu que o Papa XXII autorizasse a nomeação dum Mestre próprio ficando independente da Ordem Castelhana.
Os espatários usavam habito branco tendo na frente uma cruz vermelha com a forma de guarnições das espadas antigas. Com Afonso II tomaram parte os Cavaleiros de Santiago na celebre Batalha de Alcácer, onde juntamente com outras ordens e sob o comando de Martim Barreguam, Comendador de Palmela, contribuíram bravamente para o desbarato dos Serracenos, saindo assim gloriosos da luta e orgulhosos do confronto com seus émulos.
Conclui-se assim que a área que corresponde grosso modo o nosso Distrito foi pacificado e desenvolvido pela Ordem de Santiago.
O OURO - Significa vigor, poder e fidelidade.
O VERMELHO - significa valor, ardil e ânimo.
0 AZUL - Significa integridade, justiça e lealdade que constitui a base de todo o nosso trabalho. Justiça em todas as direcções, lealdade em todas as nossas atitudes e procedimentos para com a população e para com a hierarquia em que estamos integrados.

Ordem de Serviço n.º 98, I Parte do Comando-Geral de 29 de Janeiro de 1982